fbpx

Variante indiana do novo coronavírus se espalha pelo Brasil

Após o Maranhão confirmar uma contaminação com a variante do novo coronavírus identificada na Índia, chamada B.1.617, o Distrito Federal e os estados do Pará, Ceará, Rio de Janeiro e Minas Gerais investigam casos suspeitos. A Prefeitura de Juiz de Fora, em Minas Gerais, confirmou hoje(25) que está investigando um paciente que foi para a […]


Variante indiana do novo coronavírus se espalha pelo Brasil

Após o Maranhão confirmar uma contaminação com a variante do novo coronavírus identificada na Índia, chamada B.1.617, o Distrito Federal e os estados do Pará, Ceará, Rio de Janeiro e Minas Gerais investigam casos suspeitos.

A Prefeitura de Juiz de Fora, em Minas Gerais, confirmou hoje(25) que está investigando um paciente que foi para a Índia recentemente e testou positivo para a Covid-19 na cidade. A Secretaria de Saúde Municipal realizou coleta de material para realizar exames que poderão confirmar se ele foi infectado pela nova variante.

Ontem(24), a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) começou a monitorar um passageiro que estava a bordo do voo com uma pessoa infectada pela variante B.1.617. De acordo com o órgão, o homem está isolado na sua casa, em Brasília, e não apresenta sintomas. Em nota, a SES-DF informou que o primeiro resultado do teste RT-PCR deu negativo. Contudo, mais dois novos testes serão realizados.

Na tarde de domingo(21), a Secretaria de Saúde de Campos dos Goytacazes(RJ) divulgou que monitora um morador que estava a trabalho na Índia e testou positivo para a Covid-19 ao chegar em São Paulo no sábado(22). O paciente fez um exame RT-PCR no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, e seguiu de carro para a cidade fluminense.

No sábado(22), a Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa) anunciou que investiga dois casos suspeitos de infecção pela variante indiana no município de Primavera. Os pacientes visitaram o litoral do Maranhão antes de apresentarem sintomas. As amostras foram encaminhadas para sequenciamento no Instituto Evandro Chagas.

Antes disso, na sexta-feira(21), o governo do Ceará informou que há suspeita de um caso do coronavírus pela cepa indiana B.1.617 na capital Fortaleza. É um passageiro que retornou de uma viagem à Índia no último dia 9.

Segundo a Organização Mundial de Saúde(OMS), a cepa indiana B.1.617 tem mutações mais contagiosas que a cepa tradicional do coronavírus e pode trazer lesões pulmonares graves.