fbpx

Polícia Civil de Goiás fecha o cerco contra comércio ilegal de produtos agropecuários e prisões devem ocorrer em breve

De acordo com investigador ouvido com exclusividade pelo portal Entender o Brasil, crimes podem incluir falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais e também aqueles contra a economia popular


Polícia Civil de Goiás fecha o cerco contra comércio ilegal de produtos agropecuários e prisões devem ocorrer em breve

Denilson Boaventura
Felipe Homsi

As investigações da Polícia Civil (PC) de Goiás sobre o comércio ilegal de produtos agropecuários estão avançadas. Após inquérito instaurado, uma série de lojas agropecuárias de Goiânia começaram a ser investigadas, principalmente na região do Setor Campinas. As informações foram repassadas com exclusividade ao portal Entender o Brasil pelo delegado Gylson Mariano Ferreira.

Segundo o titular da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Consumidor (Decon), a apuração está em um “patamar avançado”. No entanto, detalhes sobre o caso não serão divulgados por enquanto pois existe o risco de atrapalhar as diligências e os trabalhos já realizados.

A Decon busca, assim, findar em Goiás a venda de produtos agrícolas que estão sendo comercializados para serem aplicados em animais. “Além de configurar uma infração criminal, [essa prática] também está em desacordo com normas administrativas da Vigilância Sanitária”, pontuou Gylson Mariano Ferreira.

Funcionários de lojas de produtos agropecuários ouvidos pelo portal Entender o Brasil confirmaram que a prática é comum e que, em muitos casos, o desvio de finalidade ocorre para combater larvas em animais. “A partir do momento em que você tem um produto x que está sendo utilizado para y, ele está irregular”, frisou o delegado.

De acordo com o investigador, entre os crimes que indivíduos que estejam cometendo esta ação podem ser enquadrados  e presos estão falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais e também aqueles contra a economia popular.

Problema nacional

Investigação da Polícia Civil em São Roque de Minas (MG) apontou a existência de uma rede voltada à prática de crimes desta natureza. Conforme já reportado pelo portal Entender o Brasil, o investigador Heder Lopes afirmou que os trabalhos da PC indicaram que há pessoas de todo o país que podem estar envolvidas  tanto no comércio ilegal quanto em  falsificações.

O titular da Decon, que não descarta a possibilidade de existir relações entre os casos de Goiânia e São Roque de Minas, faz um alerta à população. “Se alguém tem alguma desconfiança pode relatar, anonimamente, pelo Disque Denúncia 197 para PC investigar, ou procurar a Vigilância Sanitária”, aconselhou então Gylson Mariano Ferreira.