fbpx

Editorial – A culpa pelo desemprego não é dos empresários

Portal Entender o Brasil se posiciona em defesa dos empresários e da sociedade brasileira. A responsabilidade pelo desemprego brasileiro não pode ser atribuída ao empresariado.


Editorial – A culpa pelo desemprego não é dos empresários

A burocracia, os altos impostos, a falta de incentivo para a indústria nacional, a corrupção, a ausência de comprometimento com a população mais pobre estão entre os motivos pelos quais o desemprego no Brasil permanece em estado de oscilação e instabilidade. Assim, em situações de crise, sejam elas políticas, econômicas ou sociais, os problemas crônicos brasileiros deixam em evidência as mazelas da sociedade. Atualmente, são quase 12 milhões sem emprego, de acordo com dados oficiais. E a culpa pelo desemprego não pode ser transferida para os empreendedores.

Um país sem sustentação, frágil juridicamente e cujo desenvolvimento se baseou, em grande parte, no favorecimento pessoal e oferecimento de vantagens, não pode evoluir como deveria. Dessa maneira, no meio desse processo, o empresariado, esgoelado em meio a tantas cobranças, muitas vezes é responsabilizado pela falta de emprego no país. Matéria veiculada em março deste ano na Revista Época mostrou que a carga tributária brasileira chega a 32,4% do PIB (Produto Interno Bruto), uma das maiores da América Latina, perdendo apenas para Cuba. Este é, assim, apenas um exemplo das discrepâncias nacionais.

É injusto e até maldoso, então, transferir a culpa pelo desemprego aos empresários. Quem trabalha dia e noite pelo desenvolvimento do país sabe o valor de cada centavo, obtido com o suor do rosto. O empresariado brasileiro, ao contrário do que se pode pensar, chora ao demitir um funcionário que atua em sua empresa há longos anos. Não existe alegria ao mandar para a rua alguém que, de alguma maneira, ajudou a construir um negócio.

Não bastasse o cenário injusto com o trabalhador, a corrupção consome, dessa maneira, recursos do país. Isso gera um processo de perdas para todos, entre eles os trabalhadores brasileiros. De acordo com Estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), o brasileiro precisa trabalhar, em média, 29 dias por ano para pagar a conta da corrupção. Ações corruptas consomem em torno de 8% do que é arrecadado no país – algo em torno de R$ 160 bilhões por ano.

Como gerar empregos se até o imposto pago aos governos é, em parte, desviado para a corrupção? A culpa pelo desemprego no Brasil pode ser atribuída a diversos agentes. Aos empresários brasileiros, não. Como foi dito, estes sacrificam suas vidas, seu tempo com a família e até momentos de lazer para continuar gerando emprego e renda no Brasil. O Portal Entender o Brasil seguirá em defesa do empresariado, que contribui para construir uma nação forte e desenvolvida.